Veículo: OFÍCIOS ESPECIAIS . Sexta-Feira, 11 de Maio de 2007 .
Título: OFÍCIOS ESPECIAIS
A música (do grego musiké téchne, a arte das musas) e a literatura (que em latim significa a arte de ler e escrever) têm destaque na programação desenvolvida pelo Museu de Artes e Ofícios para a Semana Nacional de Museus, que acontece dos dias 14 a 20 de maio.

São as edições especiais dos projetos Ofício da Música e Ofício da Palavra, que serão realizados nos dias 15 e 16, respectivamente. Os projetos são abertos ao público, com entrada franca. A Semana marca as comemorações do Dia Internacional de Museus, 18 de maio, que colocam em evidência a pluralidade cultural e a diversidade dos museus brasileiros.

Chorinho das musas

O Ofício da Música apresenta, em sua segunda edição, o grupo de chorinho Regional do Branco, de Belo Horizonte. Criado há mais de dez anos, o grupo tem como objetivo a manutenção e a valorização da riquíssima diversidade de gêneros musicais brasileiros.

"Sem a pretensão de apresentarmos um concerto de chorinhos, buscamos incorporar em nosso repertório composições que vão além desse gênero: o samba-canção, a valsa, o maxixe, o baião, a MPB, enriquecidos por um elenco instrumental acústico composto de bandolim, cavaquinho, violão 7 cordas, acordeon, pandeiro e trombone", diz Marcos Moura, mais conhecido como Branco, fundador e líder do grupo.

Os músicos (Branco no cavaquinho e no violão, Cícero Gonzaga no acordeon, Hélio Pereira no bandolim e no trombone, Geraldo Magela no violão 7 cordas e Izaías de Souza no pandeiro, além da participação especial da cantora Titi Walter) já dividiram o palco com artistas consagrados, como Cartola, Paulinho Pedra Azul, Altamiro Carrilho, Paulinho da Viola e Tadeu Franco.

No dia 16, o grupo irá apresentar um repertório bem aberto, dando um passeio de ponta a ponta na música brasileira, passando por Pixinguinha, Tom Jobim e vários outros.

Literato premiado

Já em sua quarta edição, o Ofício da Palavra apresenta o premiado escritor Milton Hatoum. Nascido em Manaus, no ano de 1952, formou-se em arquitetura na USP. Da arte da construção migrou para a arte da escrita. Mestre em literatura pela Universidade de São Paulo, foi professor de literatura na Universidade Federal do Amazonas e professor visitante da Universidade da Califórnia. Foi também escritor residente na Yale University, na Stanford University e na Universidade da Califórnia.

Seu primeiro romance, Relato de um certo Oriente (1989), ganhou o prêmio Jabuti de melhor romance em 1990 e foi publicado em sete países. Em 2000, publicou Dois irmãos, que chegou a ser finalista deste mesmo prêmio e indicado para o Prêmio Internacional IMPAC Dublin. O livro foi eleito o melhor romance brasileiro no período de 1990 a 2005, de acordo com pesquisa feita pelos jornais Correio Brasiliense e Estado de Minas, sendo traduzido para o francês, o árabe, o grego, o alemão, o italiano, o inglês, o espanhol e o holandês.

Cinzas do Norte, seu terceiro romance, foi publicado em 2005. Com ele recebeu, em 2006, novamente o Prêmio Jabuti de melhor romance, além de Livro do Ano no Prêmio Portugal Telecom, Prêmio Bravo! e também o Grande Prêmio de Literatura da Associação Paulista dos Críticos de Arte (APCA) de 2005. O livro foi publicado em Portugal e está sendo traduzido para o inglês, o francês, o alemão, o espanhol e o holandês.

Além desses romances, publicou contos e ensaios no Brasil e em revistas e jornais dos Estados Unidos, Espanha, França e Itália. É ainda colunista da revista Entre Livros e cronista do site Terra Magazine. No Ofício da Palavra, o escritor pretende "evocar lances da memória e da vida que serviram de fonte para a escrita do romance Cinzas do Norte. Ou seja, como a experiência, a memória e a história se transformaram em linguagem literária", declara.

O encontro com o público será mediado pela escritora e professora de Teoria da Literatura da UFMG, Maria Esther Maciel. A escritora já publicou, dentre outros livros, As vertigens da lucidez: poesia e crítica em Octavio Paz (1995), Vôo Transverso: poesia, modernidade e fim do século XX (1999), Triz (1999), A memória das coisas - ensaios de literatura, cinema e artes plásticas (2004) e O livro de Zenóbia (2004). Assim como Hatoum, possui vários ensaios, contos e poemas publicados em revistas do Brasil e do exterior.

Haverá também, durante o encontro, um momento para leitura de textos do autor e conversa com os leitores.

Excepcionalmente neste mês, devido à Semana Nacional de Museus, os Ofícios serão apresentados em dias seguidos, fora de sua programação normal.



SERVIÇO
Ofício da Música com Regional do Branco
Local: Museu de Artes e Ofícios - Praça da Estação
Data: 15 de maio
Horário: 19h30
Entrada franca (até 200 pessoas)

Ofício da Palavra com Milton Hatoum
Local: Museu de Artes e Ofícios - Praça da Estação
Data: 16 de maio
Horário: 19h30
Entrada franca (até 100 pessoas)




Assessoria de imprensa e comunicação
 
 
 
 
27.6.2007
Exposição Ilustrando em Revista
 
 
11.5.2007
OFÍCIOS ESPECIAIS
 
 
11.5.2007
Semana Nacional de Museus
 
 
8.5.2007
Museu do Oratório participa da Semana Nacional de Museus com homenagem a Nossa Senhora
 
 
27.4.2007
Museu de Artes e Ofícios comemora o Dia do Trabalho com portas abertas
 
 
27.4.2007
Poesia entre encontros e redescobertas
 
 
4.4.2007
OFÍCIO DA MÚSICA
 
 
26.3.2007
OFÍCIO DA PALAVRA
 
 
19.12.2006
OFÍCIO DA PALAVRA
 
 
30.11.2006
Ofício da Palavra
 
 
1 . 2 . 3 . 4 . 5 . 6 . 7

 
 
 
  Instituto Cultural Flávio Gutierrez R. Pernambuco, 622 Savassi 30130-151 Belo Horizonte MG info@icfg.org.br 55 [ 31 ] 3261 6179